Exposição antecipa obras que estarão em Grande Leilão de Arte no dia 09 de março.

25/02/2010 às 14:34 | Publicado em Audio visual, Uncategorized | Deixe um comentário

Obra de Emiliano Di Cavalcanti - Geometrias - Composição Abstratizante - Foto de Julio Hubner

No período de 04 a 08 de março (quinta-feira a segunda-feira) das 11hs às 22 horas acontece na Galeria de Arte Vitor Braga (Av. Nossa Senhora do Carmo, 1650/42 – Sion.) exposição das obras que participarão do Grande Leilão Verão que vai acontecer dia 09 de março no Hotel Caesar Business.

Uma das mais importantes e tradicionais galerias de arte de Minas Gerais – a Galeria Vitor Braga promove no próximo dia 09 de março – terça-feira – a partir das 21 horas, no Hotel Caesar Business (Av. Luis Paulo Franco, 421 – Belvedere – ao lado do BH Shopping), marcante leilão que reunirá numa única noite 170 magníficas obras, todas de sólida qualidade de mercado.

A Galeria Vitor Braga está no mercado de arte há mais de 30 anos, além de possuir relevante acervo, é responsável por prestigiadas exposições e leilões não somente na sua sede aqui em Belo Horizonte, como também em cidades como: Brasília, Goiânia e Vitória. Há mais de 15 anos, a Vitor Braga é responsável pelo famoso leilão de final de ano que acontece no Ouro Minas Grande Hotel de Araxá, onde reúne os mais abonados colecionadores e a nata dos aficionados em artes plásticas do Brasil.

O Grande Leilão de Verão que acontecerá no dia 09 de março será uma excelente oportunidade para colecionadores e pessoas que desejam adquirir obras de arte, pois em leilões, na maioria das vezes o valor que a obra é arrematada, é sempre abaixo do seu valor real de mercado.

Segundo o marchand Vitor Braga trata-se de um conjunto de obras de primeiríssima qualidade, nunca antes reunido em Belo Horizonte. Os interessados em conhecerem as obras antes do leilão, poderão apreciá-las no período de 04 a 08 de março (quinta a segunda-feira) na Galeria Vitor Braga (Av. Nossa Senhora do Carmo, 1650/42 – Sion).

Este ano o leilão apresentará obras importantes de várias coleções particulares brasileiras. Estarão presentes seis grandes coleções brasileiras, sendo quatro mineiras, incluindo as coleções do professor Santiago Americano Freire e do professor Orlando de Carvalho.

Quatro óleos de Di Cavalcanti dos anos 40 e 50, dois óleos de Cícero Dias das décadas de 50 e 60, 07 obras de Guignard, quatro óleos de Reynaldo Fonseca, quatro óleos de Milton Dacosta, três Djanira, dois raros quadros concretos de Mário Silésio (Dec. 50), dois óleos de Anita Malfatti, quatro telas de Amílcar de Castro, um raro conjunto de arte cinética internacional.

Outros Destasques: Vicente do Rego Monteiro, Tomie Ohtake, Inimá de Paula, Malagoli, Ceschiatti, Bruno Giorgi, Sônia Ebling, Bianco, Krajcberg, Tunga, Fukushima, Ivan Serpa, Pancetti, Kaminagai, Lasar Segall, Salvador Dalli, Maria Leontina, Teruz, Rubens Gerchman, Samson Flexor, Siron Franco, Victor Brecheret, Eliseu Visconti, Antônio Parreiras, Pedro Américo, Edgar Walter, dentre outros, num conjunto de 170 obras de 110 artistas.

Grande Leilão Verão 2010

Exposição: 4,5, 6, 7 e 8 de Março de 2009 (Quinta à Segunda-feira)

Local: Shopping Sul – Av. Nossa Sra. Do Carmo, 1650/42 – Sion  – Tels.: 3286-4282  9124-9848 / 9916-2783

Leilão: 09 de Março de 2010 – Terça-feira às 21: 00 h

Local.: Hotel Caesar Business – Av. Luiz Paulo, 421 – Tel.: (31) 2123-9898 – Belvedere

Realização: Galeria Vitor Braga Rugendas

Marchand: Vitor Braga

Outras Informações: (31) 3286 4282/ 9986 6782/ 9143 9187 – Galeria Vitor Braga

Assessoria de Imprensa: (31) 3274 8907

Anúncios

Cine Sesi Cultural promove sessões gratuitas de cinema em Manhumirim

11/01/2010 às 14:09 | Publicado em Audio visual, Cinema, Projetos | Deixe um comentário
Patrocinado pelo SESI, o projeto já passou por nove estados apresentando filmes em municípios que não possuem salas de projeção em funcionamento

Patrocinado pelo SESI, o projeto já passou por nove estados apresentando filmes em municípios que não possuem salas de projeção em funcionamento

O CINE SESI CULTURAL estará nos dias 15, 16 e 17 de janeiro (sexta, sábado e domingo) na cidade de Manhumirim, localizada à 311 quilômetros de Belo Horizonte, na Zona da Mata mineira. O projeto realiza apresentações gratuitas de seis filmes na Praça Padre Júlio Maria, a partir das 19 horas.

– Sexta – Dia 15/01: “Vida Maria” e “Tapete Vermelho”
– Sábado – Dia 16/01: “Os Filmes Que Não Fiz” e “Pequenas Histórias”
– Domingo – Dia 17/01: “Até O Sol Raiar” e “A Era do Gelo 3”

Em 2010, o CINE SESI CULTURAL já esteve na cidade de Carlos Chagas (8 a 9 de janeiro), segue ainda para Belo Oriente (dias 22, 23 e 24) e encerra sua segunda etapa em Nova Era (dias 29, 30 e 31 de janeiro).

Os filmes apresentados são brasileiros e premiados, com exceção de “Era do Gelo 3”, animação norte-americana (sucesso mundial) que foi dirigida pelo carioca Carlos Saldanha. Entre os títulos, destaque para o “Os Filmes que não Fiz” e “Pequenas Histórias”, dirigidos pelos mineiros Gilberto Scarpa e Helvécio Ratton, respectivamente, e que serão exibidos em seqüência, no sábado.

Antes da projeção dos filmes principais, serão apresentados quatro pequenos curtas produzidos nas oficinas de stop-motion realizadas, nesta edição do projeto, nas cidades de Salinas e Turmalina e, na edição passada, em Coromandel e em Tupaciguara. Os filmes foram realizados por estudantes do Ensino Médio que têm no máximo 18 anos de idade, com orientação de professores universitários.

Cine Sesi Cultural
O projeto circula desde 2002 e leva cinema a lugares que não possuem salas de projeção em funcionamento, levantando a discussão sobre a democratização do acesso à cultura. Após percorrer várias cidades do interior de Pernambuco, Sergipe, Paraíba e Rio Grande do Norte, a oitava edição da iniciativa retornou a Minas Gerais, no final de 2009, levando filmes para mais uma parcela da população do interior do estado. As cidades contempladas com esta etapa são Bocaiúva, Janaúba, Taiobeiras, Salinas, Turmalina, Resplendor, Carlos Chagas, Manhumirim, Belo Oriente e Nova Era. Em 2009, a caravana levou a arte cinematográfica para outros dez municípios mineiros, entre os dias 7 de agosto e 18 de outubro.

A segunda etapa pelo interior mineiro começou no dia 13 de novembro e vai até o dia 31 de janeiro de 2010. As projeções ocorrem sempre a partir das 19 horas na sexta, sábado e domingo, ao ar-livre em área cedida ao SESI, em acordo com a prefeitura local, podendo ser em uma praça ou local de conhecimento do público, respeitando as exigências físicas e técnicas dos equipamentos.

Conforto e tecnologia de ponta
Os filmes são apresentados em tela alto alvura de 12 x 5 metros com um projetor de 35 mm. O som possui três vias de dois mil watts e projetor Hi-Light Xenon de dois mil watts, além de cinemascope, o que permite boa visualização e audição a uma distância de até 25 metros. Tudo isso garante o elevado padrão de qualidade técnica e de conteúdo das projeções.

PROGRAMAÇÃO PRINCIPAL

Vida Maria – direção de Márcio Ramos
“Vida Maria”, curta de oito minutos, é uma animação produzida por Márcio Ramos, com trilha sonora em parceria com Hérlon Ramos, sucesso absoluto no Festival de Cinema de Pernambuco. O filme conta, com toques de humor, a contradição entre os desejos pessoais e a realidade. Assim, é apresentado um ciclo na vida de Maria José, obrigada a largar os estudos para ajudar nas tarefas diárias da família. Enquanto trabalha, ela cresce, casa, tem filhos, envelhece: passa dos cinco aos 45 anos. Ao final, o início de um novo ciclo que vai reproduzir o seu passado no futuro de sua filha Lurdes.

Tapete Vermelho – direção de Luiz Alberto Pereira
Sensível, engraçado e comovente, “Tapete Vermelho” é a mais bela homenagem feita pelo cinema ao grande Mazzaropi. Matheus Nachtergaele e Gorete Milagres são um casal de caipiras que buscam cumprir a promessa de levar o filho Neco, de dez anos, para uma cidade a fim de assistir a um filme do artista. Mas os tempos mudaram e os cinemas desapareceram. No caminho, o trio cruza com tipos curiosos provando que as lendas da roça ainda estão bem vivas.

Os filmes que não fiz – direção de Gilberto Scarpa
Nos moldes dos documentários em que diretores famosos falam de seus filmes com comentários de atores hollywoodianos sobre seu talento e genialidade, “Os Filmes que não fiz” conta, de forma divertida e cínica, a filmografia de um realizador desconhecido que tem muitos projetos e roteiros, mas nenhum filme produzido.

Entres os diversos prêmios conquistados pelo filme estão o de Melhor Curta – Júri Popular no Brazilian Film Festival de Toronto 2008; de Melhor Curta 35mm no Cine PE 2008; e o de Melhor Curta-metragem Brasileiro – Júri popular no Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte 2008;

Pequenas Histórias – direção de Helvécio Ratton
Na varanda de uma fazenda, uma senhora, interpretada pela atriz Marieta Severo, conta quatro histórias, quatro contos, protagonizadas por personagens do imaginário popular brasileiro – principalmente da cultura mineira. Ganhou o Prêmio de Melhor Filme Infantil de 2009 pela Academia Brasileira de Cinema e tem no elenco artistas como Patrícia Pilar e Maurício Tizumba.

Até o Sol Raiar – direção de Fernando José e Leandro Amorim
No curta, personagens criados por um artesão em barro ganham vida e agitam uma vila sertaneja em uma noite de festa. Animado em 3D, o filme une a tradição do artesanato em barro, típico do Caruaru, com o cangaço, numa referência a dois ícones da cultura nordestina. Prêmios recebidos: AnimaMundi 2007 RJ – Melhor Primeira Obra; AnimaMundi 2007 SP – Melhor Curta Metragem Brasileiro; AnimaMundi 2007 SP – Melhor Primeira Obra; Cine PE 2008 – Prêmio Especial do Júri Oficial; 31º Festival Guarnicê de Cinema – Prêmio de Melhor Roteiro; 1º Festival de Cinema de Triunfo – Melhor Direção de Arte – Júri Oficial; 1º Festival de Cinema de Triunfo – Melhor Curta-Metragem Nacional – Júri Popular; 3º Animaserra – Prêmio Vencedor Absoluto.

A Era do Gelo 3 – direção de Carlos Saldanha
O esquilo Scrat continua tentando agarrar a noz fujona e talvez encontre o verdadeiro amor; Manny e Ellie esperam o nascimento de seu mini-mamute; a preguiça Sid forma sua própria família adotiva seqüestrando alguns ovos; e Diego, o tigre dentes-de-sabre, se pergunta se não está ficando “mole” demais devido à convivência com seus amigos. Em uma missão para resgatar o azarado Sid, a turma se aventura em uma nova era, onde a fauna e a flora são diferentes. Neste local, conhecem uma incansável doninha de um olho só chamada Buck.

Depois de Manhumirim, o CINE SESI CULTURAL será apresentado nas cidades:
– Belo Oriente – dias 22, 23 e 24/01
– Nova Era – dias 29, 30 e 31/01

Outras informações:
Coordenadora do evento pelo SESI/MG- Alexandra Santos – (31) 3241-7140/8871-9625
Produtor de Campo: Ricardo Reichmann (11) 8527-4295 / Nextel 46*14948

Cine Sesi Cultural leva cinema de graça à cidade mineira de Carlos Chagas

05/01/2010 às 12:31 | Publicado em Audio visual, Cinema | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

O Cine Sesi Cultural estará em Carlos Chagas neste final de semana

Visto por mais de 2,4 milhões de pessoas, o projeto CINE SESI CULTURAL, patrocinado pelo SESI, já visitou 336 municípios em nove estados

A cidade mineira de Carlos Chagas, situada no Vale do Mucuri, receberá nos dias 8, 9 e 10 de janeiro (sexta, sábado e domingo) o projeto CINE SESI CULTURAL, que traz apresentações gratuitas de seis filmes na Praça da Matriz, a partir das 19 horas.
– Sexta – Dia 8/01: “Vida Maria” e “Tapete Vermelho”
– Sábado – Dia 9/01: “Os Filmes Que Não Fiz” e “Pequenas Histórias”
– Domingo – Dia 10/01: “Até O Sol Raiar” e “A Era do Gelo 3”
Os filmes escolhidos para serem apresentados são brasileiros e premiados, com exceção de “Era do Gelo 3”, animação norte-americana (sucesso mundial) que foi dirigida pelo carioca Carlos Saldanha. Entre os títulos, destaque para o premiadíssimo “Os Filmes que não Fiz” e “Pequenas Histórias”, dirigidos pelos mineiros Gilberto Scarpa e Helvécio Ratton, respectivamente, e que serão exibidos em seqüência, no sábado.

Antes da projeção dos filmes principais, serão apresentados quatro pequenos curtas produzidos nas oficinas de stop-motion realizadas, nesta edição do projeto, nas cidades de Salinas e Turmalina e, na edição passada, em Coromandel e em Tupaciguara. Os filmes foram realizados por estudantes do Ensino Médio que têm no máximo 18 anos de idade, com orientação de professores universitários.


Cine Sesi Cultural

O projeto circula desde 2002 e leva cinema a lugares que não possuem salas de projeção em funcionamento, levantando a discussão sobre a democratização do acesso à cultura. Após percorrer várias cidades do interior de Pernambuco, Sergipe, Paraíba e Rio Grande do Norte, a oitava edição da iniciativa retornou a Minas Gerais, no final de 2009, levando filmes para mais uma parcela da população do interior do estado. As cidades contempladas com esta etapa são Bocaiúva, Janaúba, Taiobeiras, Salinas, Turmalina, Resplendor, Carlos Chagas, Manhumirim, Belo Oriente e Nova Era. Em 2009, a caravana levou a arte cinematográfica para outros dez municípios mineiros, entre os dias 7 de agosto e 18 de outubro.

A atual etapa (segunda) pelo interior mineiro começou no dia 13 de novembro e vai até o dia 31 de janeiro de 2010. As projeções ocorrem sempre a partir das 19 horas na sexta, sábado e domingo, ao ar-livre em área cedida ao SESI, em acordo com a prefeitura local, podendo ser em uma praça ou local de conhecimento do público, respeitando as exigências físicas e técnicas dos equipamentos.

Conforto e Tecnologia de ponta
Os filmes são apresentados em tela alto alvura de 12m x 5m com um projetor de 35 mm. O som possui três vias de 2 mil watts e projetor Hi-Light Xenon de 2 mil watts, além de cinemascope, o que permite boa visualização e audição a uma distância de até 25 metros. Tudo isso garante o elevado padrão de qualidade técnica e de conteúdo das projeções.

PROGRAMAÇÃO PRINCIPAL

Animação 'Vida Maria', de Márcio Ramos

Vida Maria – direção de Márcio Ramos
“Vida Maria”, curta de oito minutos, é uma animação produzida por Márcio Ramos, com trilha sonora em parceria com Hérlon Ramos, sucesso absoluto no Festival de Cinema de Pernambuco. O filme conta, com toques de humor, a contradição entre os desejos pessoais e a realidade. Assim, é apresentado um ciclo na vida de Maria José, obrigada a largar os estudos para ajudar nas tarefas diárias da família. Enquanto trabalha, ela cresce, casa, tem filhos, envelhece: passa dos cinco aos 45 anos. Ao final, o início de um novo ciclo que vai reproduzir o seu passado no futuro de sua filha Lurdes.

Tapete Vermelho – direção de Luiz Alberto Pereira
Sensível, engraçado e comovente, “Tapete Vermelho” é a mais bela homenagem feita pelo cinema ao grande Mazzaropi. Matheus Nachtergaele e Gorete Milagres são um casal de caipiras que buscam cumprir a promessa de levar o filho Neco, de dez anos, para uma cidade a fim de assistir a um filme do artista. Mas os tempos mudaram e os cinemas desapareceram. No caminho, o trio cruza com tipos curiosos provando que as lendas da roça ainda estão bem vivas.

Os filmes que não fiz – direção de Gilberto Scarpa
Nos moldes dos documentários em que diretores famosos falam de seus filmes com comentários de atores hollywoodianos sobre seu talento e genialidade, “Os Filmes que não fiz” conta, de forma divertida e cínica, a filmografia de um realizador desconhecido que tem muitos projetos e roteiros, mas nenhum filme produzido.

Entres os diversos prêmios conquistados pelo filme estão o de Melhor Curta – Júri Popular no Brazilian Film Festival de Toronto 2008; de Melhor Curta 35mm no Cine PE 2008; e o de Melhor Curta-metragem Brasileiro – Júri popular no Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte 2008;

'Pequenas Histórias', de Helvécio Ratton

Pequenas Histórias – direção de Helvécio Ratton
Na varanda de uma fazenda, uma senhora, interpretada pela atriz Marieta Severo, conta quatro histórias, quatro contos, protagonizadas por personagens do imaginário popular brasileiro – principalmente da cultura mineira. Ganhou o Prêmio de Melhor Filme Infantil de 2009 pela Academia Brasileira de Cinema e tem no elenco artistas como Patrícia Pilar e Maurício Tizumba.

Até o Sol Raiar – direção de Fernando José e Leandro Amorim
No curta, personagens criados por um artesão em barro ganham vida e agitam uma vila sertaneja em uma noite de festa. Animado em 3D, o filme une a tradição do artesanato em barro, típico do Caruaru, com o cangaço, numa referência a dois ícones da cultura nordestina. Prêmios recebidos: AnimaMundi 2007 RJ – Melhor Primeira Obra; AnimaMundi 2007 SP – Melhor Curta Metragem Brasileiro; AnimaMundi 2007 SP – Melhor Primeira Obra; Cine PE 2008 – Prêmio Especial do Júri Oficial; 31º Festival Guarnicê de Cinema – Prêmio de Melhor Roteiro; 1º Festival de Cinema de Triunfo – Melhor Direção de Arte – Júri Oficial; 1º Festival de Cinema de Triunfo – Melhor Curta-Metragem Nacional – Júri Popular; 3º Animaserra – Prêmio Vencedor Absoluto.

'A Era do Gelo 3', de Carlos Saldanha

A Era do Gelo 3 – direção de Carlos Saldanha
O esquilo Scrat continua tentando agarrar a noz fujona e talvez encontre o verdadeiro amor; Manny e Ellie esperam o nascimento de seu mini-mamute; a preguiça Sid forma sua própria família adotiva seqüestrando alguns ovos; e Diego, o tigre dentes-de-sabre, se pergunta se não está ficando “mole” demais devido à convivência com seus amigos. Em uma missão para resgatar o azarado Sid, a turma se aventura em uma nova era, onde a fauna e a flora são diferentes. Neste local, conhecem uma incansável doninha de um olho só chamada Buck.

Depois de Carlos Chagas, o CINE SESI CULTURAL será apresentado nas cidades:
– Manhumirim – dias 15, 16 e 17/01
– Belo Oriente – dias 22, 23 e 24/01
– Nova Era – dias 29, 30 e 31/01

Outras informações:
Coordenadora do evento pelo SESI/MG- Alexandra Santos – (31) 3241-7140/8871-9625

Produtor de Campo: Ricardo Reichmann (11) 8527-4295 / Nextel 46*14948

Paisagem Lunar: Moonscape

02/10/2009 às 14:30 | Publicado em Audio visual | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Um espetáculo sonorovisual experimental de Andersen Viana
Sensibilidade, arte e experimentalismo  no palco do Sesi Holcim

Andersen Viana - Foto de Gregor Usipoff

Andersen Viana - Foto de Gregor Usipoff

Nos dias 1, 2, 3 e 4 de outubro (quinta a domingo), o maestro-compositor mineiro Andersen Viana apresenta no Teatro Sesi Holcim (Rua Padre Marinho, 60 – Santa Efigênia) seu novo trabalho “Paisagem Lunar – Moonscape”, um espetáculo sonorovisual experimental com participação do público. Patrocinado pela Lei Municipal de Incentivo a Cultura de Belo Horizonte – FMC, todos que comprarem o ingresso ganharão o CD Paisagem Lunar: Moonscape com as músicas do espetáculo.

Para Andersen Viana este trabalho pretende ser uma nova proposta sensorial onde sons, imagens, figuras e idéias se fundem em um alto grau de sofisticação e complexidade. No palco do teatro simultaneamente figuras de papel em tamanho real, imagens e sons integram a platéia numa viagem sideral. Com duração de uma hora, o espetáculo conta com trabalhos das artistas plásticas Abadia França, Esthergilda Menicucci dos cineastas Carlos Canela, Marco Aurélio Ribeiro, Suzana Markus e do público que poderá participar do espetáculo realizando intervenções com o som de seu celular. A direção artística é de Regina Mello.

Paisagem Lunar: Moonscape de Andersen Viana
Proporcionar novos meios de apoio a propostas fora da lógica de mercado que possam influenciar variados públicos e formadores de opinião em diversas partes do mundo é o ideal para a maioria dos artistas experimentais. Como exemplo de desenvolvimento do projeto Paisagem Lunar: Moonscape (an electronic journey) tem a primeira obra musical intitulada Overture, na qual harmonias compostas por quartas paralelas com a utilização de sons multitimbrais, que se assemelham a trompetes e tubas, bem como instrumentos de percussão, iniciam o espetáculo propriamente dito, seguido por efeitos de luzes e imagens espaciais, onde textos geradores conduzem a imaginação do espectador por caminhos siderais: A vida tal qual existe no planeta Vênus ainda não havia sido detectada, até que dois seres desse planeta chegassem à terra e se apropriassem dos corpos de duas jovens. Mas, o que deveria ser uma missão científica extraterrestre sobre a sexualidade humana, transforma-se em algo surpreendente para os envolvidos…

Ou então: No centro da galáxia Ômega Sete, situa-se um pequeno planeta chamado Anrek. Sem que os Anrekianos percebessem, um vírus letal havia sido introduzido na atmosfera do planeta, iniciando a morte dos Anrekianos. Um grupo de trabalho incumbido de encontrar uma solução descobriu que uma das possibilidades estava em uma vacina elaborada a partir de substâncias bioquímicas encontradas em grande quantidade nos corpos de seres de um distante planeta na Via Láctea chamado Terra. Os Anrekianos se vestem e se parecem conosco, pois tomaram a forma humana em sua última missão intergalática: a sobrevivência de seu mundo.  Andersen Viana assina as composições, arranjos, produção musical e executiva do espetáculo Paisagem Lunar:Moonscape.

O repertório musical é composto por músicas inéditas de Andersen Viana, separadas em onze atos diferentes, que serão projetadas em um telão com diversas imagens, legendas e novos textos:

1) OVERTURE –   (6’58”) – Rochas, cinza e poeira cósmica em suspensão. Grandiosa lua, luz que fascina e transforma o ser na imensidão do espaço sideral.
2) ADAGIO LUNAR –  (6’16”) – A contemplação e a serenidade da alma. Pequenos e grandes seres alados dançando o balé cósmico do universo: lentamente.
3) INVENÇÃO ESPACIAL: ALPHA (5’03”) – A velocidade espacial. Os graves que voam e surpreendem pela leveza e desenvoltura.
4) INVENÇÃO ESPACIAL: BETA (5’22”) – Um outro mundo onde estruturas atemporais vêm e vão em sequências às vezes desconsoladas, perdidas, soltas e avassaladoramente livres.
5) INVENÇÃO ESPACIAL: OMEGA (7’03”) – A certeza. Os passos firmes em solo movediço, o assobio lunar serial e curiosos seres luminosos que espiam o interior da espaçonave.
6) EXPERIMENTO I (5’15”) – O coração pulsante do viajante espacial. Alguns animais lunares se aproximam enquanto os instrumentos da nave acusam novas presenças.
7) EXPERIMENTO II (4’09”) – Estruturas lunares, pequenos e grandes seres que grudam no casco da nave como se fossem parasitas espaciais. Os humanos e uma constante tensão que se acumula atingindo o ponto culminante.
8) TENOCHTITLAN (4’47”) – Figuras são vistas apenas do céu em uma região plana onde não se teria qualquer ângulo para seu desenho. Seria um tipo de sinal espacial? Seriam os deuses astronautas?
9) EXPERIMENTO III (4’04”) – A violência dos movimentos humanos. Velocidade e tensão acumuladas que gradativamente dissolvem-se em cristais de lítio espalhados pelo solo lunar.
10) EXPERIMENTO IV (6’04”) – Apenas dois acordes e uma cintilante estrutura que se repete no espaço sideral dissolvendo-se e transformando-se em água lunar.
11) VIDA, MORTE E TRANSFIGURAÇÃO DE UM GATO (4’25”) – De cor rosa, ele nasceu e viveu na terra. Após ter vestido o manto tenebroso da morte, elevou-se até a lua e transformou-se em um ser intergaláctico. Virou um pássaro lunar.

Andersen Viana
Maestro-compositor, produtor cultural e professor. Doutorando em Música pela UFBA graduou-se em Composição Musical pela Universidade Federal de Minas Gerais, especializou-se em Composição Musical e Música para Cinema na Itália – Accademia Chigiana di Siena, Reale Accademia Filarmonica di Bologna, Arts Academy of Rome, com Ennio Morricone, Luca Salvadori e E.Polizzi – e na Suécia, no Royal University College of Music in Stockholm. Recebeu 20 premiações por sua obra musical na Bélgica, Brasil, EUA, Itália, França e Holanda.

Sua obra musical tem sido objeto de estudos nas universidades brasileiras, tocada, editada no Brasil e exterior. Seu catálogo musical atual consta de 266 títulos, abrangendo canções populares, câmera, sinfonias, ópera, música para filmes e música eletrônica. Tem desenvolvido estudos e trabalhos nos seguintes países além do Brasil: Bélgica, EUA, Suécia, Grécia, Honduras, Itália, França, Portugal, Rússia, República Tcheca, Reino Unido e Bulgária.

Contatos:
Direção artística:Regina Mello Tel: 8838.7367 Email: reginamello2004@yahoo.com.br
Compositor: Andersen Viana  Email: vianabr2005@yahoo.    Site: http://www.andersen.mus.br

“Paisagem Lunar – Moonscape”
um espetáculo sonorovisual.

COMPRE O INGRESO E GANHE UM CD

Local: Teatro SESI HOLCIM
Dia: 01,02 e 03 – (quinta, sexta e sábado) de Outubro: 21h
Dia: 04 (domingo) de Outubro: 20h
Preço: R$10 (inteira) e R$5 (meia)
Endereço: Rua Padre Marinho , 60  – Santa Efigênia
Telefone para Informações: (31) 3241-7332

Assessoria de Imprensa: Christina Lima (31) 3274 8907

PATROCINIO: LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO A CULTURA DE BELO HORIZONTE – FMC



Entries e comentários feeds.