CONVITE Fórum – Mostra Cena & Atitude

25/11/2009 às 19:07 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Prezado,

Depois de passar por Curvelo e Bocaiuva a Mostra Cena & Atitude, patrocinada pela V&M do BRASIL chega a Belo Horizonte (25 a 27/11) para apresentações de espetáculos e debates na região do Barreiro.

A Mostra tem como proposta divulgar o trabalho de grupos teatrais do interior de Minas Gerais e consequentemente contribuir para o fortalecimento das artes cênicas fora dos grandes centros urbanos.

Nesta sexta-feira, 27/11, será realizada programação especial que inclui o Fórum Cena & Atitude e tem como objetivo discutir fatos e propostas que contribuem para o fortalecimento dos processos de resistência e residência de grupos teatrais nas suas cidades de origem – no interior do estado.

PROGRAMAÇÃO – DEBATES

15h às 15h30 – Café com Prosa

Intercâmbio entre grupos participantes

15h30 às 16h30 – A Cena

Jogos Teatrais

16h30 às 17h30 – Atitude…

Bate papo: O viver teatral no interior

LOCAL

Centro Cultural Lindéia/Regina

Rua Aristolino Basílio de Oliveira, 455 – Bairro Regina (Região do Barreiro)

 

Mais informações: (31)3551-5449 ou  (31)8860-5449 – Wilma Miranda

Assessoria de imprensa: (31) 3274-8907 – CL Assessoria

Anúncios

CÉU no Music Hall

19/11/2009 às 19:57 | Publicado em Música | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Cantora apresenta o show de lançamento do CD ‘Vagarosa’

No próximo dia 27 de novembro, sexta-feira, a cantora e compositora Céu apresenta pela primeira vez em Belo Horizonte o seu novo show “Vagarosa”, no Music Hall (Avenida do Contorno, 3239 – Santa Efigênia). O projeto da turnê foi selecionado entre mais de 600 inscritos no Edital Nacional 2008 do programa Natura Musical. “Estamos entusiasmados com nossa parceria com a Céu. Uma cantora bem contemporânea que traz em sua musicalidade elementos universais, além de expressar a alma brasileira e muita feminilidade”, afirma Renata Sbardelini, gerente de marketing institucional da Natura.

Céu - Foto de Marcelo Gomes

O show tem no repertório canções do CD homônimo, como “Cangote” (Céu), “Comadi” (Céu/Beto Villares) e “Sonâmbulo” (Céu/Serginho Machado/Bruno Buarque/DJ Marco/Lucas Martins/Guilherme Ribeiro). O roteiro também faz um passeio pelas músicas do primeiro CD “Céu”, de 2005, como “Roda” (Céu/Beto Vilares), “Malemolência” (Céu/Alec Haiat) e “Lenda” (Céu/Alec Haiat/Graziella Moretto).

No palco, Céu, que também é responsável pela direção musical, estará acompanhada pelos músicos Guilherme Ribeiro (guitarra, teclados e acordeon), Lucas Martins (baixo), Bruno Buarque (bateria) e o DJ Marco (MPC e pick up). O projeto de luz é de Fernanda Carvalho e o figurino de Milli Whitaker.

Céu - Foto de Marcelo Gomes

Graveola (Show de abertura)
Surgido na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, em meados de 2004, o grupo emergiu das rodas de violão como um trio que se reunia informalmente para tocar um repertório tão diverso quanto eclético, em que se misturavam clássicos da grande música brasileira a fragmentos da cultura pop mais deslavada e corrompida. Interessados nesse processo de “liquificações sonoras”, os então estudantes de graduação Luiz Gabriel, Marcelo e José Luis começaram a se reunir com mais freqüência, intensificando a produção.

A partir daí um repertório próprio começa a ser esboçado, cheio de absorções irresponsáveis, dos mais variados gêneros: oscilam entre o lirismo e o deboche, das canções consagradas aos jingles televisivos. Nessa época, a falta de instrumentos comuns – e a falta de formação musical – os leva a incorporar utensílios domésticos e instrumentos de brinquedo como ferramenta sonora – o que acabou por lhes dar o subtítulo do grupo, o lixo polifônico, imagem a que dedicam constante divagação conceitual e reescrita, em seus verborrágicos releases e peças de divulgação.

Da continuidade e fertilidade desse processo, novos integrantes foram se juntando, o grupo foi crescendo, ganhando fôlego e reconhecimento. Em 2007, integraram a programação dos festivais de inverno de Ouro Preto e Diamantina, e tocaram na abertura do festival forumdoc.bh.2007 – em show nos jardins internos do Palácio das Artes, que contou com a inusitada participação da dupla (na verdade, um trio) Zé do Poço e Sarieiro. Já no ano de 2008, por meio de projeto aprovado no Fundo Municipal de Cultura de BH, entraram em estúdio para gravar seu primeiro disco. Hoje a banda conta com sete membros: Flora Lopes, Marcelo de Podestá, Luiz Gabriel Lopes, José Luis Braga, Yuri Vellasco, João Paulo Prazeres e Bruno de Oliveira.

Natura Musical
É o programa de apoio à cultura brasileira da Natura com foco em música. Tem por missão estimular e difundir a música raiz-antena. A música que resulta do encontro de elementos tipicamente brasileiros com conceitos, ideias e sonoridades universais.

O programa beneficia projetos de diferentes estágios e processos da música brasileira. Até hoje, cerca de 115 projetos foram selecionados, atingindo as seguintes marcas: mais de 205 apresentações de artistas variados; 124 workshops, oficinas e palestras ministradas; 36 CDs e DVDs gravados; 6 livros produzidos; 5 projetos de pesquisa finalizados; além de festivais, exposições e seminários. Ao todo, 17 estados de todas as regiões do Brasil foram contemplados e mais de 200 mil pessoas beneficiadas.

Entre os patrocinados, destacam-se projetos de todo o Brasil, como a turnê e CD ‘Labiata’, do cantor Lenine; o site biográfico Caymmi Acervo Digital, portal que reúne acervo de 70 anos de carreira do músico Dorival Caymmi; o CD ‘Afrosambajazz’, dos músicos Mario Adnet e Philippe Baden Powell; além da parceria com a cantora Marisa Monte com turnê ‘Universo Particular’ e o filme O Mistério do Samba.

Sobre a Natura
A Natura é a maior fabricante brasileira de cosméticos e conta atualmente com 5.698 colaboradores. A empresa opera por meio da venda direta e contabiliza 850 mil consultoras e consultores no Brasil e no Exterior. A marca também está presente nos sete maiores mercados da América Latina: Argentina, Peru, Chile, México, Venezuela, Colômbia e México. Na França, em Paris, a corporação mantém a sua única loja mundial e um centro-satélite de pesquisa e tecnologia.

Music Hall – sexta-feira – Dia 27 de novembro
CÉU no lançamento do CD “Vagarosa”
Show de abertura: Graveola
Abertura da casa – 21 horas.

Ingressos: (VALORES SUJEITOS A ALTERAÇÕES SEM AVISO PRÉVIO)

Preços: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada)

Classificação Etária: 18 anos.

Venda de ingressos sem taxa de conveniência:
Bilheterias do Music Hall, de segunda a sábado, das 12h às 20h.
Venda de ingressos com taxa de conveniência:
Livraria Leitura BH Shopping
Loja 27C no Shopping 5a Avenida
site http://www.ingressorapido.com.br (consultar taxa pelo telefone 31 4003 1212)

Meia-entrada: De acordo com Recomendação do Ministério Público, a meia-entrada é válida para estudantes mediante a apresentação da carteira de estudante válida, acompanhada de comprovante de matrícula e/ou freqüência – será exigido na compra do ingresso e na entrada da Casa. Está limitada a 30% dos ingressos disponíveis, não se aplicando às áreas Vip e Camarotes.

Outras informações – Telefone: 3461 4000 e http://www.musichallbh.com.br

Assessoria de Imprensa BH
CL Assessoria em Comunicação – 3274 8907

 

Marcello Dinis apresenta novo show “Sem Começo nem Final” no Teatro Alterosa

18/11/2009 às 19:56 | Publicado em Música | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

No dia 26 de novembro (quinta-feira), às 21 horas, o cantor e compositor Marcello Dinis, estará no Teatro Alterosa (Av. Assis Chateaubriand, 233 – Fone: 3237 6611 – Floresta), para lançar seu mais recente CD “Sem Começo nem Final”. Este show faz parte da turnê “Expresso Teixeira de Cultura”, que o cantor divinopolitano, está fazendo por diversas cidades mineiras.

Marcello Dinis - Foto de Cristiano Quintino

Marcello Dinis 2 foto Cristiano Quintino

Acompanhado por um quarteto de bambas da música mineira, Marcílio Rosa (guitarra) Cássio Tiso (backing vocal) e dos irmãos Dinho Mourão (bateria) e Alexandre “Boi” Mourão (baixo), além da participação de Tunico Villani (berimbau, percussão), Marcello apresentará ao público as músicas que compõe seu mais recente CD, composto por canções gravadas ao longo de sua trajetória artística.

Marcello Dinis é um dos mais prestigiados cantores de Minas, seu trabalho é reconhecido pela originalidade, inspiração e criatividade. Com dezessete anos de carreira, tem cinco discos gravados: “Balaio de Gato” (1992), “Claro” (1998), “Central de Minas ao vivo” (2001), “Toca Minas” (2005) e “Sem Começo nem Final” (2009).

Marcello Dinis
Dinis é natural de Divinópolis. Cantor, compositor e produtor da mais fina e autêntica música popular do Brasil, cursou violão clássico e musicalização na Fundação de Educação Artística em Belo Horizonte; foi integrante do Coral Newton Paiva como barítono apresentando-se em concertos, peças teatrais, óperas, coro de orquestra e festivais internacionais pelo Brasil. Fez parte do coro que acompanhou Roberto Carlos no Ginásio do Mineirinho em Belo Horizonte (MG), por três anos consecutivos.

Marcello Dinis começou sua carreira na capital mineira. Nos anos 1990, participou do Projeto Caldos e Canjas, projeto onde se apresentava com sua banda formada com Paulinho Carvalho (baixo), Mário Castello (bateria) e Marcelo Lima (teclados), com presença e participação de Paulinho Santos (Uakti), Robertinho Silva, Toninho Horta, Esdras Neném, Cláudio Venturini, Telo Borges, e outros grandes nomes da música brasileira.

Premiado em diversos festivais pelo interior de Minas, têm na agenda shows realizados nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Maceió (AL), Recife (PE), Vitória da Conquista (BA), além de ter percorrido mais de 400 cidades de Minas nas mais diversas regiões.

Gravou seu primeiro disco, o “Lp” “Balaio de Gato” em 1992, parceria com Alexandre Az e Sérgio Misan. Uma das canções, Alô de Londres, foi incluída no CD “Bateia”, de 1995, produzido com o melhor da música feita em Minas à época.

Em 1998, junto de seus parceiros Júlio Costa Val e Cassio Tiso lançou o álbum “Claro”, com participações especiais de Túlio Mourão, Gê Lara, Lemão, Chico Amaral e Tambolelê. O projeto gráfico foi realizado pelo designer Otávio Bretas, com ilustrações do cartunista Aroeira.

Em 2001, no Teatro Sesiminas em Belo Horizonte, gravou ao vivo o CD “Central de Minas”, registrado também pela Rede Minas de Televisão e exibido no programa “Especial Rede Minas”.

No final de 2005, gravou em Belo Horizonte o CD “Toca Minas” com a função de registrar suas composições e de Tunico Villani. Álbum produzido de forma independente que contou com a participação de músicos reconhecidos nacional e internacionalmente, entre eles, Décio Ramos (Uakti), Paulinho Carvalho, Claudio Faria, Dinho Mourão, Eduardo Delgado, Tatá Spalla, Alexandre Lopes, Alexandre Az, Marcelo Lima, Julinho Barbosa, Bruno Pimenta e Grupo Zé da Guiomar, além de parcerias com Helmut Gondim, Altino Filho, Paulinho Motta, Soninha Silva e Celeste Brandão.

O CD “Sem começo nem Final” é o registro das 15 músicas selecionadas entre os quatro discos lançados, para representar 15 anos de carreira. E nele, está incluído um bônus interativo com clipe, entrevista e faixa exclusiva de show ao vivo.

Show: Marcello Dinis apresenta “Sem Começo nem Final”
Teatro Alterosa – Dia 26 Novembro – 21 horas
Ingressos: R$2,00
Outras informações: 3237 6611

Assessoria de Imprensa: CL Assessoria em Comunicação – (31) 3274 8907
www.marcellodinis.com.br

Mostra Cena & Atitude chega a BH nos dias 26 e 27 de novembro

17/11/2009 às 20:19 | Publicado em Projetos, Teatro | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , ,

Programação de espetáculos e debates tem entrada franca

Depois de reunir milhares de pessoas em Curvelo e Bocaiúva, a mostra Cena & Atitude será realizada em Belo Horizonte nos dias 26 e 27 de novembro (quinta e sexta-feira). Na programação, apresentações teatrais abertas a toda a população e seminários sobre artes cênicas dirigidos a artistas locais, arte-educadores, produtores e demais interessados. As atividades têm entrada franca e serão realizadas no Centro Cultural Lindéia/Regina (Rua Aristolino Basílio de Oliveira, 455) e no Centro Cultural Vila Santa Rita (Rua Ana Rafael dos Santos, 149 – Vila Santa Rita).

Espetáculo O Carrinho - Foto de Ronald Péret

Espetáculo O carrinho - Foto de Ronald Péret

Com o patrocínio da V & M do Brasil e idealização da produtora cultural Wilma Miranda, a mostra tem por objetivo divulgar o trabalho de grupos teatrais do interior de Minas Gerais e consequentemente contribuir para o fortalecimento das artes cênicas fora dos grandes centros urbanos.

O primeiro dia do evento será dedicado às apresentações de dois grupos teatrais. A Cia Losna, de Mariana, traz o espetáculo infantil O Carrinho, que será apresentado no Centro Cultural Vila Santa Rita, às 15h.  A montagem é um número solo do palhaço Furreca (Eduardo Dias) e retrata um dia na vida de um policial de trânsito, com muitas confusões e trapalhadas. Quando Furreca entra em seu carro, ele se transforma e acaba se envolvendo em brigas, paqueras e transgressões às leis de trânsito até que algo surpreendente acontece. No mesmo dia e local, a Cia Losna ministra aula de demonstração com o tema O Compasso do Palhaço, a partir das 16h.

Já o Grupo TQ (Teatro de Quintal), da cidade de Juiz de Fora, apresenta sua comédia Mineiros On The Beach, no Centro Cultural do bairro Lindéia, a partir das 20h. A peça é uma seleção das melhores cenas do grupo nas ruas e nos bares, o que deu ao TQ uma identidade de interatividade. Assim, o público participa às vezes como vítima, às vezes atuando como figurantes. O show tem quatro esquetes e mais um trailer ao vivo. Depois do espetáculo, às 21h, o grupo estará à frente da aula de demonstração A Necessidade do Humor, no mesmo local.

Mineiros On The Beach - Foto de Agência Grão

Fórum Cena & Atitude
Para finalizar as atividades do evento, será realizado um fórum que tem o objetivo de discutir os pontos que contribuam para o fortalecimento dos processos de residência de grupos em cidades do interior do estado. Durante a programação das mostras, foram selecionados temas debatidos localmente pelos grupos que circularam pelos três municípios atendidos para que mais tarde, dentro do fórum, tais temas pudessem ser abordados em âmbito estadual.

Através do fórum, que será realizado no dia 27 de novembro, das 15h às 18h, no Centro Cultural Lindéia/Regina, pretende-se aproximar grupos das mais diversas regiões do estado que possuam características semelhantes de atuação e atitude, fortalecendo seu intercâmbio e suas respectivas propostas.

Sobre a patrocinadora
A V & M do BRASIL é produtora de tubos de aço sem costura no país. Surgiu em 1954 para atender a indústria petrolífera, cresceu e hoje também atende os setores de óleo e gás, energia, industrial, automotivo e estrutural. Utiliza como combustível renovável apenas carvão vegetal proveniente de florestas plantadas. E isso faz com que seus produtos sejam denominados Tubos Verdes.

Norteada sempre pela sustentabilidade, a V & M do BRASIL criou o Tempo Sustentável, movimento empresarial que integra projetos e ações socioambientais e culturais. Um exemplo em movimento que começa hoje, com dias melhores para todos nós, e reflete nas futuras gerações.

Projeto Cena & Atitude em Bocaiúva
Data: 26 e 27 de novembro (Quinta e Sexta-feira)
Locais
Centro Cultural Lindéia/Regina (Rua Aristolino Basílio de Oliveira, 455)
Centro Cultural Vila Santa Rita (Rua Ana Rafael dos Santos, 149 – Vila Santa Rita)
Mais informações: (31)3551-5449 ou (31)8860-5449

Assessoria de Imprensa: CL Assessoria em Comunicação
Christina Lima e Marcos dos Anjos
(31)3274-8907 – (31)9775-8907

Beatriz Rodarte lança “Circo de Ilusões” no Teatro Dom Silvério

16/11/2009 às 17:56 | Publicado em Música, Uncategorized | Deixe um comentário


Cantora e compositora belo-horizontina traça um retrato de sua carreira no primeiro álbum solo

 

O cenário da nova música mineira é pródigo em boas cantoras e Beatriz Rodarte confirma mais uma vez esta tendência, com influências de toda diversidade da MPB, do soul, da black music e da música latina. No dia 19 de novembro, (quinta-feira) às 21 horas, a compositora e cantora faz o show de lançamento de seu primeiro CD “Circo de Ilusões” no Teatro Dom Silvério (Av. Senhora do Carmo, 230 – Savassi). Antenada em tudo que se produz da boa música mundial, Beatriz liquidifica suas referências e dá o tempero perfeito para criar uma identidade única e extremamente musical.

Beatriz Rodarte tem imensa qualidade artística e potência vocal. Com um pandeiro nas mãos, tocando guitarra e um trovão nas cordas vocais, Beatriz encanta públicos de todas as idades. A artista agora celebra com seu público um marco em sua carreira, o lançamento de seu primeiro CD.

Neste álbum, Beatriz se mostra mais madura e preparada para abraçar este trabalho autoral. Seu talento como intérprete e instrumentista aparece em performances viscerais com grande presença de palco e interação com o público. No show, a cantora estará acompanhada pelos músicos Guto Padovani (bateria), Cristian Tunes (baixo), Daniel Guedes (percussão), Danuza Menezes (percussão), Claudio Pereira (guitarra) e Richard Neves (teclado). A apresentação contará ainda com algumas participações muito especiais: o gaitista Leandro Ferrari; o cantor Márcio Bragança (RJ) e o rapper Cubanito.

CD “Circo de Ilusões”

Todos esses anos de estrada resultaram em muita musicalidade e sofisticação que aliados ao talento e personalidade de Beatriz Rodarte, resultaram em um trabalho contundente. “Circo de Ilusões” é a verbalização da maturidade musical da cantora. O CD traz composições inéditas, grandes parcerias e até mesmo a grata surpresa de uma novíssima versão de “Nothing Will Be As It Was” de Milton Nascimento e Ronaldo Bastos, completamente personalizada para a interpretação de Beatriz.

Alexandre Az e Tino Gomes, dois nomes de peso no cenário musical mineiro, presentearam a cantora com “Pode Tudo Acabar”, uma bela canção de amor tendo uma crítica social contundente como pano de fundo. Além dos já renomados, novos compositores estão produzindo e divulgando, em constante parceria com Beatriz Rodarte, o que de melhor vem sendo produzido na música mineira. Estes jovens talentos são Tom Nascimento e Cristian Tunes. O primeiro, autor das músicas “Declaro”, “Cometa”, “Mossamba” e “Declaro”. O segundo, compositor da canção “Dia Claro”.

Em seu repertório original, Beatriz Rodarte expõe sua intimidade, seus questionamentos e vivência numa seleção musical cheia de suingue e alto astral. A canção que dá nome ao CD, “Circo de Ilusões”, composta aos 14 anos, representa o ponto crucial da vida da artista, o momento de sua opção pela arte, em metáforas lúdicas e bem trabalhadas.

Se por um lado “Menino Meu Mal” é uma verdadeira ode ao amor romântico, “Para Este mundo que eu quero descer” mostra um eu lírico visceral, autêntico, apaixonado e muito decidido.

“Sem Nexo” é a mais verdadeira expressão de uma explosão de sentimentos e da vontade de abraçar o mundo com tudo de bom e ruim que ele tem para oferecer sempre com muito alto astral.

Irreverência e bom humor também são características marcantes de Beatriz Rodarte, que explora seu lado descontraído na música “Não me leve a mal”, que descreve contatos imediatos de terceiro grau.

Beatriz Rodarte

Mineira de Belo Horizonte, Beatriz Rodarte descobriu sua veia artística ainda criança, aos dez anos, tendo aulas de canto com seu mestre Maurício Tizumba. Seu processo de composição veio quatro anos mais tarde, e daí em diante não parou mais. Participou de inúmeros projetos musicais como Trampolim, Canto em Qualquer Canto, Ensaio Aberto, Mostra de Cantores, dentre outros.

Beatriz Rodarte

Foto Gianfranco Briceño

Ganhou o Concurso de Jingles da Escola da Babaya, pela composição do Jingle “Cantar é Dez” que foi veiculado nas rádios em Minas. Fez parte do grupo Tambor Mineiro, participando da gravação do primeiro CD “Tambor Mineiro”, e com ele já dividiu o palco com Chico César, Paula Santoro, Pedro Luis, Milton Nascimento, dentre outros.

Aos 20 anos, foi escolhida como uma das vozes femininas da renomada banda de baile Pendulum, que integrou por cinco anos. Em sua história musical, Beatriz coleciona participações nos CDs da Banda Pendulum, Alexandre Az, Banda Alcalyno, Trio Jerimum e Trio Bodocó. A cantora também faz parte do grupo Harém da Imaginação. Como intérprete, Beatriz Rodarte gravou diversas músicas, inclusive a versão da música “My Romance” titulada em português “Meu Amor” de Pacífico Mascarenhas.

Beatriz Rodarte

Foto Gianfranco Briceño

Já fez shows com os seguintes artistas: Pedro Morais, Tom Nascimento, Nathy Faria, Márcio Bragança (RJ), Anthonio (Candome System), Affonsinho, Luiz Melodia, banda Rubato Gandaia (SP), entre outros. Atualmente a cantora se dedica à carreira solo, fazendo shows em várias casas noturnas pelo país, e à divulgação de seu primeiro CD “Circo de Ilusões”, cuja turnê de lançamento tem início em novembro deste ano.

 

“Circo de Ilusões” – Ficha Técnica do show

Direção artística: Beatriz Rodarte

Direção musical: Alexandre Mourão

Direção de cena: Babaya

Figurino: Lucy in the Sky e Júlia Braga

Cenário: Júlia Braga, Glauber Apisela

Banda: Guto Padovani (bateria), Cristian Tunes (baixo), Daniel Guedes (percussão), Danuza Menezes (percussão), Claudio Pereira (guitarra), Richard Neves (teclado)

Participações especiais: Leandro Ferrari (gaita), Márcio Bragança (vocal-RJ) e Cubanito (rapper).

Equipe técnica: Fernando Cabrito (técnico de Som), Heverson dos Santos e Ivan Grossi (roadies), Leandro Azeitona (responsável Técnico)

Projeto e Operação de Luz: Adézio Fialho

Produção Executiva: Leandro Calazans e Thalita Matta Machado.

APOIOS: ACÚSTICO ESTÚDIO e LUCY IN THE SKY

 

Beatriz Rodarte – Lançamento do CD “Circo de Ilusões”

Coquetel de autógrafos após o show

 

Data: Dia 19 de novembro, quinta-feira

Local: Teatro Dom Silvério – Av. Senhora do Carmo, 230 – Savassi

Horário: 21 horas

Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia)

 

Os valores de meia-entrada são válidos para: • Estudantes regularmente matriculados na rede oficial de ensino, público ou particular, de 1º, 2º e 3º graus e cursos pré-vestibulares credenciados junto à UNE ou UBES; •O estudante deverá apresentar a sua carteira com foto, acompanhada do comprovante da mensalidade ou matrícula do estabelecimento de ensino do ano letivo vigente e documento de identidade, tanto na compra do ingresso na bilheteria quanto na entrada do show; • A meia-entrada é também garantida aos menores de 21 anos e maiores de 60 anos, mediante apresentação de documento com foto.

Formas de pagamento: Cartões de Crédito, Cartões de Débito e Dinheiro.

Pontos de Vendas: Bilheterias do Chevrolet Hall (De segunda à sábado, das 12 às 20 horas. Domingos e feriados, das 14 às 20 horas) Ticketmaster: teleingressos: 0300 789 6846 e pelo site www.ticketmaster.com.br

Classificação: Livre

Informações: (31) 3209-8989

 

Assessoria de Imprensa: CL Assessoria em Comunicação – (31) 3274 8907

 

9º Primeiro Campeonato Mineiro de Surfe é marcado pela diversidade de estilos e por sua grandiosidade

13/11/2009 às 18:24 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário


O Campeonato chega a sua nona edição, com atrações como

La Pupuña, Daddy-o Grande e Ultraje a Rigor


Shows e debates acontecem no período de

18 a 21 de novembro – A OBRA e MUSIC HALL

A onda surfada pelo Primeiro Campeonato Mineiro de Surfe não para de crescer. Desde que colocou a prancha na água, ainda no século 20, o maior festival do gênero da América Latina se avolumou, ganhou corpo, agregou estilos, evoluiu, ganhou adeptos e chega à nona edição como tsunami global que se estende de Belo Horizonte a Nashville (EUA), do Planalto Central à Croácia, do Pará ao Paraná, da Bahia ao Rio de Janeiro, de Santa Catarina a São Paulo. Serão quatro dias de shows e debates, em dois espaços – A Obra Bar Dançante e Music Hall, nos dias 18, 19, 20 e 21 de novembro (quarta a sábado), em dois espaços – A Obra Bar Dançante e Music Hall, ambos na capital mineira. O 9° Primeiro Campeonato Mineiro de Surfe integra o Conexão Vivo – iniciativa da Vivo voltada ao desenvolvimento do setor musical brasileiro.

Como se inspirou na surf music para nascer, este ano o Primeiro Campeonato Mineiro de Surfe volta aos primórdios e traz como uma de suas principais atrações os paulistas The Jordans, primeira e mais antiga banda de surf music em atividade no Brasil, tendo lançado o primeiro disco em 1962.

Inspirado no mesmo som que fez a cabeça de Aladinn e sua turma há quatro décadas, volta ao Brasil o norte-americano Daddy-o Grande, um dos guitarristas dos lendários Los Straitjackets. Ele será acompanhado por ninguém menos que os paulistas do Dead Rocks, big riders do surf nacional. Outras atrações seguem a mesma linha, como o Super Stereo Surf, do Distrito Federal.

Se alguns foram direto à fonte, outros beberam a água salgada emanada da Califórnia “aditivada”, seja misturando-a com punk, metal, rock, pop ou música regional, seja lá de que região for. Casos dos baianos do Retrofoguetes, dos mineiros Estrume’n’tal e Proa, dos catarinenses Os Ambervisions, dos paulistas Mullet Monster Mafia e dos cariocas Os Carburadores.

Mostrando que o Brasil produziu sua própria surf music, o Primeiro Campeonato Mineiro de Surfe apresenta também Pio Lobato, Mestre Vieira e os Mestres da Guitarrada. Há bastante tempo na estrada, eles influenciaram não só o Pará natal, de onde vem também o La Pupuña, mas outros estados e também outros ritmos, como o tecnobrega.

 

Roger Ultraje a Rigor

Crédito: Marcos Hermes

 

Já o Ultraje a Rigor dispensa maiores apresentações. O certo é que o gênero do ícone Dick Dale sempre esteve presente no rock dos paulistas, na ativa desde a década de 80 sem nunca ficar parados no tempo.

Por outro lado, o Gustafi vem da Croácia para mostrar pela primeira vez aos brasileiros como misturou reverb com música dos Bálcãs. Mistura das mais interessantes, como já provaram Mano Negra e Gogol Bordello.

Mas nem só de shows será feito o 9º Primeiro Campeonato Mineiro de Surfe. Três encontros reunirão músicos, produtores e público para debates sobre a atual cena nacional da surf music e da música independente, em uma ótima oportunidade para expor e conhecer idéias.

Números que impressionam

Essa é a nona edição do Primeiro Campeonato Mineiro de Surfe. O “Primeiro” incluído do nome deve-se ao fato de o Campeonato ser o festival pioneiro do gênero no país.

Em oito edições já realizadas, o festival reuniu um público total de 9.478 pessoas, com uma média de 1.184 pessoas por edição. Passaram pelo palco da Obra e do Lapa Multshow 115 bandas, somando 463 músicos participantes.

CONEXÃO VIVO

Dezenas de projetos musicais de todo o país fazem parte do Programa Conexão Vivo, que reúne shows, festivais independentes, gravação de CDs e DVDs, produção de videoclipes, programas de rádio, oficinas e seminários que compõem uma rede nacional e permanente de atividades culturais envolvendo artistas, gestores e produtores culturais, iniciativas públicas e privadas.

O Conexão Vivo realiza ao longo do ano um circuito próprio de eventos onde toda essa diversidade de ações acontece conjuntamente. Além disso, o programa também está presente em muitas das mais importantes iniciativas da cena musical brasileira, seja com o patrocínio de projetos ou parcerias artísticas em eventos de destaque no calendário nacional, como acontece agora com o O 9° Primeiro Campeonato Mineiro de Surfe e outros festivais independentes como o Arte na Praça, Jambolada e 53 HC (Minas Gerais), Omelete Marginal (Espírito Santo), Se Rasgum (Pará) e Coquetel Molotov (Pernambuco).

A construção e articulação de redes culturais nacionais, em diferentes segmentos artísticos, é o foco da Política Cultura da Vivo, que tem no Conexão Vivo uma de suas principais iniciativas. Detalhes sobre as outras linhas de atuação e sobre as formas de participação nos Programas Culturais Vivo estão disponíveis no http://www.vivo.com.br/cultura. E para saber mais sobre o Conexão Vivo, acesse o portal http://www.conexaovivo.com.br.

Caju e Totonho estréiam a peça “Sem Pensar Duas Vezes!” no Music Hall

12/11/2009 às 18:44 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Depois de cinco anos em cartaz com a peça “Caju e Totonho em: Vão Falar de Coisa Boa?!”, sucesso de crítica e público, a dupla de humoristas apresenta agora seu novo espetáculo: Caju e Totonho, Sem Pensar Duas Vezes!”. A comédia ficará em cartaz no Music Hall (Avenida do Contorno, 3239 – Santa Efigênia) entre 15 de novembro e 14 de dezembro, de domingo a terça-feira, sempre às 20 horas.

Já que a receita da peça anterior deu certo, Caju e Totonho não pensaram duas vezes e usaram os mesmos ingredientes para criar esse show de humor. Fatos do dia-a-dia, sátiras de programas de TV e personagens reais do cotidiano serão reproduzidos no palco sob a ótica irreverente da dupla.

O humor simples, o improviso e a interação com a platéia continuam sendo a marca de Caju e Totonho. Portanto, o convite para quem quer dar boas gargalhadas é pensar bem, ou melhor, ir assistir “Caju e Totonho, Sem pensar Duas Vezes!”

Caju e Totonho

Creditos Rafael Motta

A dupla
Rodrigo Signoretti Magalhães (Caju) e Alfredo Vianna (Totonho) começaram suas carreiras artísticas no mesmo ano, em 1989. Mas até então um não sabia da existência do outro. Cada um seguia independente buscando espaço e oportunidade para mostrar seu talento e ser reconhecido. Até que em 2001 o reconhecimento veio: eles se conheceram e um reconheceu o talento do outro! Até então, isso não significava grandes coisas, mas foi "humor à primeira vista".

Na época, os dois passaram a apresentar um programa diário no rádio. Com a repercussão e a convivência, eles perceberam que, juntos, eram capazes de usar o cotidiano como matéria prima para fazer rir. 

No dia 1º de junho de 2002, começava a Copa do Mundo e uma nova fase na vida dos artistas. Era a estréia na TV. Durante o campeonato, Caju e Totonho passaram a ter um quadro diário de humor, dentro do programa “Alterosa Esporte" (TV Alterosa/SBT-MG), que é transmitido para todo o estado de Minas Gerais. Essa experiência rendeu aos dois, além de picos de audiência, um convite para permanecer com o quadro durante a Copa dos Campeões, Campeonato Brasileiro, Olimpíadas... 

Começaram, então, a surgirem convites para participações em outros 
programas como Domingo Legal, Programa do Tom, Gilberto Barros e 
Arrumação (Saulo Laranjeira).

Em 2004, os dois montaram o primeiro espetáculo de teatro, o show 
de humor: “Caju e Totonho em: Vão Falar de Coisa Boa?!”. Em 2007, 
a TV Alterosa resolveu apostar ainda mais no potencial dos 
humoristas lançando o programa: "Caju e Totonho em Off". 
A proposta é revelar para o telespectador os bastidores de programas
de TV, shows, eventos, enfim, levar para frente das câmeras tudo o 
que acontece por trás delas. 
Em 2009, o “Caju e Totonho em Off” completou o 100º programa, 
comemorando dois anos de sucesso e diversão. 

Rádio, TV, Teatro... Tudo isso acabou chamando a atenção de grandes 
empresas que passaram a contratar a dupla para convenções, 
treinamentos, seminários, congressos, onde eles usam o humor como 
ferramenta para informar e ao mesmo tempo divertir. Desenvolvendo 
um trabalho específico, de acordo com a necessidade de cada empresa, 
Caju e Totonho já viajaram por todo o Brasil, atendendo organizações c
omo: Oi, General Eletric, Petrobrás, TIM, Unimed, Coca-Cola, Siemens, 
Claro, AmBev, Telemar, entre várias outras.

Nação Zumbi apresenta show que marca trajetória do grupo

12/11/2009 às 18:21 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O grupo Nação Zumbi traz ao Music Hall (Av. do Contorno, 3239 – Santa Efigênia) dia 14 de novembro, sábado, show comemorativo de um período histórico para a identidade musical pernambucana e também do décimo quinto aniversário de ‘Da Lama ao Caos’, um dos álbuns de maior sucesso para o grupo.

 

Nacao Zumbi

Foto por Fábio Braga

 

Primeiro disco da banda Chico Science & Nação Zumbi, o trabalho é representativo também por ser o primeiro da Cena Mangue. A partir dele, os mangueboys celebraram a fertilidade dos mangues e retiraram daí um “sumo” da diversidade.

A Nação Zumbi abre seu show com a música ”Banditismo por uma questão de classe”. Composta por Chico Science, a interpretação é de Jorge Du Peixe que ousa no tom de voz nesta canção. Deste álbum, também merece destaque a canção “Rios, pontes & overdrives”, uma composição que tem como autores dois expoentes da década de 90 recifense: Chico Science e Fred 04.

No repertório, também estarão outros sucessos como: “A Praieira”, que remete a uma mistura energética; “Samba Makossa”, música conhecida na versão de Marcelo D2; “Salustiano Song”, canção que atingiu o grande público e “Da Lama ao Caos”, cuja mistura com o Sepultura em `Chaos AD´ganhou notoriedade.

Em muitas das canções que serão apresentadas, a Nação Zumbi dividirá o palco com convidados que marcaram presença no Movimento Mangue. Estão confirmados os cantores Otto e Fred 04, além de abertura com a banda 112 Sobrado.

Music Hall – Sábado – Dia 14 de novembro

Festa Original do Brasil

Nação Zumbi

Participações especiais: Fred 04 e Otto

Abertura: 112 sobrado

Abertura da casa – 22 horas.

Ingressos: (VALORES SUJEITOS A ALTERAÇÕES SEM AVISO PRÉVIO, CONFORME OS LOTES SE ESGOTEM)

Pista

1º lote – R$ 50,00 (inteira) / R$ 25,00 (meia)

2º lote – R$ 60,00 (inteira) / R$ 30,00 (meia)

3º lote – R$ 70,00 (inteira) / R$ 35,00 (meia)

4º lote – R$ 80,00 (inteira) / R$ 40,00 (meia)

Camarote

1º lote – R$ 60,00 (inteira) / R$ 30,00 (meia)

2º lote – R$ 80,00 (inteira) / R$ 40,00 (meia)

3º lote – R$ 100,00 (inteira) / R$ 50,00 (meia)

4º lote – R$ 120,00 (inteira) / R$ 60,00 (meia)

Classificação Etária: 18 anos.

Venda de Ingressos: Bilheteria do Music Hall, de segunda a sábado, das 12 às 20 horas (Avenida do Contorno, 3239 – Santa Efigênia); loja 5ª Avenida (27C no 3º piso), Leitura Megastore BH Shopping, pelo site www.ingressorapido.com.br e telefone 4003-1212.

Meia-entrada: De acordo com Recomendação do Ministério Público, a meia-entrada é válida para estudantes mediante a apresentação da carteira de estudante válida, acompanhada de comprovante de matrícula e/ou freqüência – será exigido na compra do ingresso e na entrada da Casa. Está limitada a 30% dos ingressos disponíveis, não se aplicando às áreas Vip e Camarotes.

Outras informações – Telefone: 3461 4000 e http://www.musichallbh.com.br

Assessoria de Imprensa BH

CL Assessoria em Comunicação – 3274 8907

Arlindo Cruz canta no Music Hall sucessos de 30 anos de carreira e músicas inéditas

12/11/2009 às 18:16 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

 

O sambista Arlindo Cruz acompanhado de sua banda apresenta no Music Hall (Av. do Contorno, 3239 – Santa Efigênia), no dia 13 de novembro, sexta-feira, o novo trabalho “Arlindo Cruz MTV Ao Vivo”, lançado em abril deste ano e que já é Disco de Ouro. Com quase 30 anos de carreira, o DVD/CD é a celebração de uma obra e consagração, como cantor, do compositor que mudou a cara do samba, ao mesmo tempo em que sempre buscou preservar a essência do gênero. O projeto contou com as participações especiais de Zeca Pagodinho na música inédita feita pelos dois, “Vê se não demora”; Marcelo D2, em “Mão Fina”; e Beth Carvalho em “Saudade Louca”, além do filho Arlindo Neto, que cantou com o pai “O Império do Divino” e “Aquarela Brasileira”.

Arlindo Cruz é um dos grandes incentivadores do samba (ele compõe para diversos grupos novos e faz questão de promover os subgêneros, como partido-alto, samba-enredo, samba romântico e de fundo social). O sambista cultiva fundamentalmente o partido-alto, gênero-mãe do samba. Algumas canções do CD/DVD, que estarão no show, exemplificam esta escolha, como: “Casal sem vergonha”, “Malandro sou eu”, “Camarão que dorme a onda leva”, “SPC”, “Bagaço da laranja” e “Da melhor qualidade”, sucessos nas vozes de Fundo de Quintal (grupo do qual Arlindo fez parte); da madrinha Beth Carvalho, a que primeiro notou o talento do sambista; e do parceiro e amigo Zeca Pagodinho.

 

Arlindo Cruz

Foto Walter Firmo

 

Mas Arlindo também é mestre no samba elegante, romântico, encontrado na nova “Bom aprendiz” (parceria com o filho) e nos sucessos “Fora de ocasião” e “Não dá”, nova parceria com Wilson das Neves. O cantor ainda é notório compositor de sambas-enredo, que não poderiam ficar de fora deste disco, como “Império do divino”(do carnaval de 200), que teve introdução feita por agogôs, homenageando a bateria do Império Serrano. Interpreta também “Aquarela brasileira” (do carnaval de 1964), de mestre Silas de Oliveira. Antes de celebrar Silas, Arlindo homenageia dois imperianos que participaram efetivamente de sua formação musical: o falecido Beto Sem Braço, grande ídolo de toda geração Cacique de Ramos, e Aluizio Machado, parceiro de Arlindo em “Império do divino”.

O CD/DVD traz ainda outros “hinos”, como “O show tem que continuar”, com a qual o Arlindo homenageia Luiz Carlos da Vila.

Music Hall – Sexta-feira – Dia 13 de novembro

Arlindo Cruz e Banda

Abertura: Banda Volta por Cima e Banda Black Samba

Abertura da casa – 22 horas.

Classificação Etária: 18 anos.

Ingressos: (VALORES SUJEITOS A ALTERAÇÕES SEM AVISO PRÉVIO, CONFORME OS LOTES SE ESGOTEM)

Pista

1º lote – R$ 40,00 (inteira) / R$ 20,00 (meia) – ESGOTADO

2º lote – R$ 60,00 (inteira) / R$ 30,00 (meia) – ESGOTADO

3º lote – R$ 80,00 (inteira) / R$ 40,00 (meia)

4º lote – R$ 100,00 (inteira) / R$ 50,00 (meia)

5º lote – R$ 120,00 (inteira) / R$ 60,00 (meia)

Camarote Open Bar*

1º lote – R$ 60,00 – ESGOTADO

2º lote – R$ 70,00 – ESGOTADO

3º lote – R$ 80,00 – ESGOTADO

4º lote – R$ 90,00 – ESGOTADO

5º lote – R$ 120,00

*O open bar será até o final do show. Para este setor não há meia-entrada

Mesa**

1º lote – R$ 50,00 – ESGOTADO

2º lote – R$ 60,00

3º lote – R$ 70,00

4º lote – R$ 80,00

** Valor individual. Para este setor não há meia-entrada

Venda de Ingressos: Bilheteria do Music Hall, de segunda a sábado, das 12 às 20 horas (Avenida do Contorno, 3239 – Santa Efigênia); loja 5ª Avenida (27C no 3º piso), Leitura Megastore BH Shopping, pelo site www.ingressorapido.com.br e telefone 4003-1212.

Meia-entrada: De acordo com Recomendação do Ministério Público, a meia-entrada é válida para estudantes mediante a apresentação da carteira de estudante válida, acompanhada de comprovante de matrícula e/ou freqüência – será exigido na compra do ingresso e na entrada da Casa. Está limitada a 30% dos ingressos disponíveis, não se aplicando às áreas Vip e Camarotes.

Outras informações – Telefone: 3461 4000 e http://www.musichallbh.com.br

Assessoria de Imprensa BH – CL Assessoria em Comunicação – 3274 8907

Flávio Venturini faz show acústico no Topo do Mundo

12/11/2009 às 18:12 | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Considerado um dos mais importantes compositores da música brasileira, o mineiro Flávio Venturini, faz única apresentação no Restaurante Topo do Mundo (Serra da Moeda – entrada para o Retiro do Chalé) no dia 20 de novembro (sexta-feira), a partir das 22 horas. Além das músicas do seu último CD “Não se Apague esta Noite” ele fará uma mostra de seus mais importantes sucessos. No palco, acompanhando Flávio Venturini, o músico Kadu Viana. Este show faz parte das comemorações dos cinco anos do Restaurante Topo do Mundo.

Flavio Venturini

Foto Rafael Mota

Flávio Venturini

Protagonista de uma talentosa e respeitada carreira artística que somam mais de trinta anos Flávio Venturini é autor de verdadeiras e inesquecíveis obras primas da música popular brasileira, como: Todo Azul do Mar, Linda Juventude, Nascente, Anjo Bom, Espanhola, Planeta Sonho, Criaturas da Noite, Princesa, Nuvens, entre outras.

Natural de Belo Horizonte, o músico, cantor e compositor iniciou sua formação musical aos 15 anos estudando acordeão e piano. Foi revelado pelo Clube da Esquina, nos anos 60, e ingressou na vida artística em festivais de música das décadas de 60 e 70, inclusive participou nesta época, do lendário grupo “O Terço”.  Em 1974, por indicação de Milton Nascimento, foi convidado a gravar com Sá & Guarabyra.

Em 1979 fundou a banda 14 Bis onde permaneceu por 10 anos. Em 1989 desligou-se do grupo e seguiu carreira solo. Gravou vários discos com canções próprias e de outros compositores, como: Cidade Veloz (1990), Flávio Venturini ao Vivo (1992), Noites com Sol (1994), Beija Flor (1996), Trem Azul (1998), Linda Juventude (1999), Porque não Tínhamos Bicicleta (2003), Luz Viva (2005), Canção Sem Fim (2006).

Suas composições receberam divinas interpretações nas vozes dos mais importantes artistas, como: Leila Pinheiro, Jane Duboc, Emílio Santiago, Maria Bethânia, Simone, Milton Nascimento, Nana Caymmi, Beto Guedes, Peter Gabriel e outros.

Flavio Venturini

Foto Rafael Mota

Restaurante Topo do Mundo

O Topo do Mundo Bar e Restaurante proporciona a perfeita combinação entre uma deslumbrante vista, um ambiente aconchegante e um cardápio especial aliado a uma requintada carta de vinhos. Situado a uma altitude de 1450 metros, no alto da cordilheira da Serra da Moeda, ao lado da rampa do Clube de vôo livre, a visão panorâmica é um convite à contemplação.

De um lado, com 180 metros de desnível, visualiza-se a Lagoa dos Ingleses, muito utilizada pelos praticantes de esportes náuticos e que, em noites de lua cheia, reflete tons prateados.Em dias de clima seco é possível a visualização até mesmo do Pico do Itacolomi, localizado a mais de 80 quilômetros, no município de Ouro Preto. Do lado oposto, a oeste do Vale do Paraopeba, o desnível atinge 580 metros, proporcionando um visual simplesmente deslumbrante, ora de um colorido intenso, salpicado pelas cores dos pára-gliders e asas-deltas, ora de um tom azul-acinzentado que se perde de vista no vasto mar-de-montanhas que compreende a região exibindo, ainda, o pôr-do-sol mais bonito das redondezas.

Flávio Venturini – Acústico no Topo do Mundo

Data: Sexta-feira – 20 de novembro

Horário: 23 horas

Restaurante Topo do Mundo – Estrada da Serra, 10 – Piedade do Paraopeba – Brumadinho

Comemorando o aniversário de cinco anos do Topo do Mundo

Espaço, somente mesas para 04 pessoas: R$400,00 antecipado e R$500,00 no dia

Postos de vendas: Topo do Mundo e nas lojas Boundless.

Informações: 31-3575 5545 – 9634 4189

Realização: Jackson Martins

Acesse o site: www.topodomundo.com.

Assessoria de Imprensa: CL Assessoria em Comunicação – (31) 3274 8907

Página seguinte »


Entries e comentários feeds.